(Este estudo é de 3.000 páginas – aqui resumido)

Em pecado a mãe de Davi o concebeu, assim como algumas outras pessoas foram concebidas, porém a grande maioria das pessoas não foi concebida em pecado.

1. No Salmo 51:5 Davi tenta se justificar, dizendo que a sua mãe o concebera em pecado. Este é o texto mais usado na tentativa de estabelecer a doutrina do pecado original e do pecado hereditário; fruto do pensamento promíscuo e uma grande covardia dos comentaristas devassos, impuros e carnais; o texto tem sido explicado como se não existisse na História bíblica nenhum poder celestial, divino ou demoníaco; como se não houvesse nem luz nem trevas; como se o mundo espiritual fosse completamente ignorável em relação às circunstâncias do pecado e da convicção do erro. Entre todas as respostas que daremos a estas doutrinas, primeiramente quero dizer que o ataque dos espíritos familiares na família de Davi foi contínuo. O pecado não é hereditário, mas os espíritos malignos atravessaram o dilúvio para ajudar no estabelecimento da iniquidade (a instituição dos pecados como cultura da sociedade caída), entraram novamente na nova civilização e destruíram a geração de Cam. Eles marcharam para destruir a humanidade da mesma forma que o diabo entrou no jardim do Éden. Eles não morreram, nem morrem. Uma grade parte deles foi lançada no Abismo, no lugar de tormento e outros estão presos na zona do Eufrates. Eles existem, mas sempre são ignorados. Quando falamos de instituição da iniquidade o assunto é muito mais sério; quando falamos em (1) ligaduras da impiedade, (2) em ataduras do jugo, e (3) em jugo demoníaco (Is 58:6; Jr 34:9; Ne 5:10-12), não podemos desassociá-los das circunstâncias que o homem individualmente ou coletivamente enfrentam.

2. Nem homem natural nem o homem espiritual podem lutar sozinhos contra o pecado sem as armas de Deus, desde os dias em que o pecado revive no homem as mesmas circunstâncias enfrentadas por Adão e seus filhos (Rm 7:9). Os espíritos malignos sabem onde atacar nos (1) instintos ado homem través ((a)da aquisição, (b) da comunhão, (c) do domínio, (d) da autoproteção, (e) da reprodução e (f) da alimentação) mediante os (2) sete poderes de principados no mundo: (1, 2) o principado da miséria e da farmácia (nas ruas e nos hospitais); (3,4) o principado da religião e da política (nos templos e nos três poderes); (5,6) o principado da comunicação e da manipulação (redes sociais, cadeias de rádio e tv, revistas e instrumento de áudio e vídeo); (7) do principado da economia (nos bancos, derivados e nas bolsas de valores). Nisso consiste a luta natural de todos os homens todos os dias. Por isso Jesus resolveu revestir as suas ovelhas com (1) a santificação do seu sangue diante do Pai, (2) dando-lhes o poder do seu Espírito Santo, (3) providenciando-lhes o novo nascimento, tudo isso como direitos naturais oferecidos pela sua graça com o objetivo de não permitir que o Maligno nãos os tocasse (João 17:9-20): “Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, senão por aqueles que me deste, porque são teus; todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e, neles sou glorificado. Eu não estou mais no mundo; mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai Santo, guarda, no teu Nome, aqueles que tu me deste, para que eles sejam um, assim como nós. Enquanto estava com eles no mundo, eu os guardava no teu Nome; aos que me deste eu os conservei, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. Mas, agora, vou para ti e falo isto no mundo, para que eles tenham o meu gozo completo em si mesmos. Eu lhes dei a tua palavra, e o mundo os aborreceu, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Santifica-os na tua Verdade; a tua Palavra é a Verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E por eles eu me santifico, para que, na verdade, eles também sejam santificados. E não rogo somente por estes, senão também por aqueles que, pela sua palavra, hão de crer em mim”.

3. Não vencemos o pecado somente por meio de nosso esforço natural, embora seja muito necessário o nosso esforço; mas vencemos o pecado porque Deus nos prepara o cenário, a armadura e os servidores espirituais que estão ao nosso serviço diariamente, embora não os vejamos; tudo isso para que ninguém se glorie em si mesmo, nem em suas obras. Quando isso acontece, caímos. Como atuar diante do poder do pecado à nossa volta? (1) Fixando os olhos em Jesus, o Autor e Consumador da fé, (2) esperando o gozo que nos foi proposto, (3) suportando a cruz,
(4) desprezando a afronta, (5) chegando ao alvo que havíamos proposto: Assentar-se à mão direita do Trono de Deus. Este é o nosso esforço (Hebreus 12:1): “Portanto, nós também, cercados como estamos de uma tão grande nuvem de testemunhas, despojemo-nos de toda carga e o pecado que de perto nos rodeia, corramos com perseverança a carreira que nos foi proposta, fixando os olhos em Jesus, o Autor e Consumador da fé, o qual, esperando o gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à mão direita do Trono de Deus”. A vitória sobre o pecado nos premiará, confirmará nossa eleição e nos levará à glorificação. Mas como esperar a premiação? (1) Considerar aquele que suportou tal hostilidade por parte dos pecadores contra si mesmo, (2) não enfraquecer, relaxando em nossa mente. (3) Resistindo até o sangue, combatendo contra o pecado (Hebreus 12:3): “Considerai, pois, aquele que suportou tal hostilidade por parte dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, relaxando em vosso ânimo”. Jesus é o nosso exemplo de confirmação e certificação da eleição. Ele é o nosso exemplo de que o pecado pode ser vencido.

4. O currículo de iniquidade na história da família de Davi (Sl 51; 69): Nos dias do Antigo Pacto, mesmo depois de todos os acontecimentos que demonstravam o desejo dos hebreus de se verem livres do poder da iniquidade da fornicação, sempre havia uma surpresa que os desanimava. Agora, conhecedor do currículo de iniquidade da sua geração, Davi exclama: “Eu fui formado em iniquidade”. E sob este poder, descobre a verdade a respeito do seu nascimento: “Em pecado me concebeu a minha mãe” (Sl 51:5). Embora este texto tenha sido explicado na História como sendo um castigo contra a humanidade, ou seja, a doutrina do inevitável “pecado original” e do “pecado hereditário” ensinado por muitos dos pais da Igreja, em realidade, não passa de uma conjectura, porque, na verdade, não existe pecado original, como também não existe santidade original, nem salvação original. Se herdáramos pecado, Deus seria o transmissor; se herdáramos o pecado, o sacrifício de Cristo teria sido feito em vão, pois o homem não seria culpado dele; se herdáramos pecado, nossa alma estava condenada desde a concepção, se herdáramos pecado, Jesus teria recebido pecado através do corpo de Maria, se herdáramos pecado nenhuma criança seria herdeira do reino de Deus se morresse antes da sua convicção de pecado; se herdáramos pecado do primeiro Adão, teríamos que herdar a santidade do segundo Adão, sem falar em todas as outras virtudes advindas da sua justiça, de forma hereditária, sem necessitar de arrependimento, convicção, condição, batismo e outro cerimonial. Mas, nenhum texto da Bíblia apoia tais doutrinas como a “hereditariedade do pecado” a “natureza pecaminoso” e o “pecado original” de Agustinho. Estas doutrinas os protestantes, sem uma avaliação, acabaram herdando das teologias dos ramos soteriológicos conhecidos da História da Igreja, tais como o Autosoterismo, o Sacerdotismo, o Universalismo e o Naturalismo.

5. De quem Davi estava falando? Na verdade, Davi estava falando da sua situação pessoal, isto é, da sua própria afronta e da afronta que recaía sobre a sua pequena família, pois ele vivia em uma tenda campal separada da casa de Jessé quando soube que sua mãe não era a mesma mãe de seus outros irmãos; eles o odiavam por isso e o quiseram matar por várias vezes (Sl 69); Davi jamais se referiu ao suposto pecado “original” de Adão, pelo qual, toda a raça humana foi condenada à morte (Rm 5:14), mas, sim, à condição de sua concepção e nascimento sob o antigo estado civil de sua mãe cananeia e do seu pai Jessé. Independentemente de Davi, alguns compreendem este texto como se o ato sexual entre o marido e mulher, em si, fosse pecaminoso; isto é, creem que a relação íntima entre marido e mulher é uma impureza ou um ato pecaminoso, quando, de fato, é um ato de santificação no matrimônio (1Co 7:14). Ainda hoje, inclusive, alguns creem e defendem veementemente que a relação conjugal é um grave pecado. Mas, o que nos chama a atenção é que, geralmente, os tais defensores têm tantos filhos quanto Jacó! Esta saga do inimigo de nossas almas querer justificar o pecado hereditário ou original através da família real é uma longa história. O próprio Davi foi acusado por Saul de perverso; Saul chamou o seu próprio filho de filho da perversa (1 Sm 20:30), referindo‐se à pura amizade entre Davi e Jônatas. Cada concepção humana tem uma história; cada pessoa que nasce, nasce sob uma circunstância. Mas, tenho absoluta certeza que a maioria dos meus leitores nasceram como fruto de um casamento honesto. Mas isto não condena aquele que não nasceu, nem seus pecados podem ser justificados pelos atos de seus progenitores (Dr. Aldery Nelson Rocha, Das Bíblias Revelada Alpha, AT; da Eleição – no prelo). 

3 comentários sobre “Todos são concebidos em pecado?

  1. Louvado seja Deus ,pela sua vida Dr Aldery. Eu alguns meses atrás estava incomodado com a questão da geração de Cristo no ventre de Maria, e o fato
    da NAO transmissão de pecado ao Senhor JESUS,como entender isso…? É TREMENDO o que Deus traz através do seu ministério ,as revelações que descortinam conhecimento e sabedoria…
    Outro assunto Mestre, que gostaria muito que o Senhor nos falasse QUANDO CRISTO ao derramar todo o seu sangue na cruz em favor daqueles que creem,para que nao pereçam mas tenham a vida eterna ….quando Ele ressuscita o que corria em suas Veias? ÁGUA DA VIDA? POIS ELE MESMO DISSE DO SEU VENTRE CORRERÃO AGUA DA VIDA .Se eu estiver errado por favor me ajuda …pois alem disso carne e sangue não herdam o reino .não vou estender o assunto, mas se o Senhor puder me ajudar a entender …fico no aguardo de sua resposta E compreensão…..louvo a Deus por sua vida …..LEO GONÇALVES

  2. Aí cai por terra toda essa teologia Agostina, que vem levando muitos adeptos até hoje! Que possamos continuar vigiando, na doutrina dos Apóstolos!
    Glórias a D´us

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X